Licença aqui patrão, eu cresci no mundão, onde o filho chora, e a mãe não ve
E covarde são quem tem tudo de bom, e fornece o mau, pra favela morrer