Numa eleição a gente não vota no que é melhor pra uma pessoa, duas pessoas ou um grupo pequeno. Simples assim: eu não voto por mim, você não vota por você. A gente vota por um projeto que pode levar milhões de pessoas a melhorarem de vida. Se toda a população conseguir ser atingida por esse projeto, ótimo. Mas se não, lembre-se que o ótimo muitas vezes é inimigo do bom e em certos momentos é melhor abrir mão dos 100% e aceitar os 70% de bom grado, mas sem deixar de lutar pra que ele um dia chegue aos 100%.

Ok, texto confuso, mas deu pra entender, né? Qualquer coisa tá desenhado na figura acima.